Facebook Twitter Youtube Instagran
Fotos       |       Vídeos

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
noticia
Rádio Mania FM - Ibatiba ES
Seu Site Na Net

A pastora Juliana Salles, mãe dos irmãos Kauã Salles Butkovsky, de 6 anos, e Joaquim Alves, de 3 anos, foi presa na cidade de Teófilo Otoni, em Minas Gerais, na noite desta terça-feira (19). O mandado de prisão foi expedido pelo juiz André Bijos Dadalto, da 1ª Vara Criminal de Linhares, na última segunda-feira (18), no mesmo dia em que a Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público Estadual contra Juliana e o pastor Georgeval Alves. O pastor está preso acusado pela polícia de ter estuprado e matado o filho e o enteado.

Na denúncia, a promotora Rachel Tannenbaum, da 2ª Promotoria Criminal – crimes dolosos contra a vida – de Linhares, responsável pelo caso, acusa a pastora Juliana de ter conhecimento do risco que as crianças sofriam por estarem sozinhas com o pastor George, o que caracteriza omissão por parte de Juliana. Em entrevista exclusiva ao Gazeta Online, a promotora informou que o pastor George vai responder na justiça por: dois homicídios qualificados; dois estupros de vulneráveis; dois crimes de tortura; e fraude processual por ter alterado a cena do crime. A pastora Juliana, apesar de não estar em casa no dia do crime, vai responder também por dois homicídios; dois estupros de vulnerável; e também por fraude processual.

O juiz André Dadalto determinou que a prisão fosse cumprida pelo Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Norte, que tentou cumprir o mandado ainda em Linhares, na última segunda-feira. Os promotores descobriram, então, que a pastora Juliana estava em outro estado. O Gaeco Norte pediu ajuda ao Gaeco em Minas Gerais, que conseguiu cumprir o mandado na noite desta terça, na cidade de Teófilo Otoni. 

Juliana será transferida para o Espírito Santo ainda na tarde desta quarta-feira, e deve ficar numa prisão de Colatina. Ela estava em Minas há cerca de duas semanas e, recentemente, a defesa dela pediu o adiamento do depoimento que ela daria para a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos, em Brasília, que seria na última semana. Havia a expectativa de que ela ficasse frente a frente com o marido na CPI.

Comentários